Santa Catarina

ACIAT se posiciona contra o aumento dos valores destinados ao Fundo Eleitoral

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Em reunião realizada na manhã da segunda-feira, 19 de julho, o Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina (Cofem/SC), do qual a FACISC – Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina faz parte, decidiu posicionar-se contra o aumento dos valores destinados ao Fundo Eleitoral, aprovado pelo Congresso Nacional na semana passada.

O setor empresarial catarinense defende o veto da medida pelo presidente Jair Bolsonaro e enviará também manifestação ao Fórum Parlamentar Catarinense pedindo que, caso ocorra, o veto seja mantido pelo Congresso.

A ACIAT (Associação Empresarial de Taió), também se posicionou contra o aumento dos valores destinados ao Fundo Eleitoral.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Confira a nota de repúdio da íntegra:

Nota de repúdio

As Associações Empresariais do Alto Vale do Itajaí, repudiam o aumento da verba destinada ao Fundo Eleitoral; que passa de R$ 1,8 bilhão para R$ 5,7 bilhões em 2022.

A mudança está prevista na Lei de Diretrizes Orçamentarias, aprovada por deputados federais e senadores na última quinta-feira, 15 de julho. O texto segue agora para a sanção do presidente Jair Bolsonaro e é indispensável que associações e federações empresariais se organizem, se manifestem e pressionem pelo veto, em favor da moralidade, sobretudo diante da crise econômica e sanitária que o Brasil atravessa.

Conforme pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em março de 2021, o país alcançou o recorde de desemprego, com mais de 14 milhões de pessoas sem ocupação. Diante dos mais de 500 mil mortos pela Covid-19, de um contingente expressivo de pessoas que precisarão de assistência para se recuperar da doença e, especialmente, por conta de milhares de empresas fechadas, o que o Brasil menos precisa no próximo ano são de campanhas políticas financiadas com dinheiro público.

Ainda que esta medida esteja aprovada e dentro da legalidade, ela passa longe da moralidade e do compromisso de transformar este país em um lugar melhor, com emprego, saúde, educação, infraestrutura e desenvolvimento.

Na era da informação, do conhecimento e da transparência, conclamamos nossos representantes públicos a somarem forças neste movimento e a se manifestarem contrários ao aumento do Fundo Eleitoral. É preciso ter consciência de que a aprovação desta medida deixará uma marca na trajetória de cada político e que campanha publicitária nenhuma será capaz de apagar.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram


Comente