Ituporanga

Após receber fotos íntimas, mulher tenta extorquir vítima, no Alto Vale

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina, por intermédio da Delegacia de Polícia da Comarca de Ascurra, no dia de hoje, 25 de novembro de 2021, cumpriu mandado de busca e apreensão domiciliar e mandado de prisão preventiva, expedidos em desfavor de T.A.M, suspeita da prática do crime de extorsão, delito previsto no art. 158 do Código Penal, cometido através do ambiente cibernético.

RECEBA NOTÍCIAS EU SEU WHATSAPP, CLIQUE AQUI

A investigação começou no início do mês de julho, na oportunidade a vítima procurou a Delegacia de Polícia Civil de Apiúna para relatar que havia “conhecido” uma mulher pela internet e que essa seria moradora da cidade de Ituporanga. A vítima relatou que trocaram algumas fotografias pelo aplicativo whatsapp e iniciaram um relacionamento online.

RECEBA NOTÍCIAS DO ALTO VALE E SANTA CATARINA PELO TELEGRAM

Durante o relacionamento a investigada passou a solicitar valores para fazer uma cirurgia e diante da negativa passou a exigir da vítima o valor de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), caso contrário criaria uma página no Instagram para divulgar as conversas íntimas, afirmar que a vítima era homossexual e que tinha abusado de sua filha de 03 anos, fato que era impossível ter acontecido porque a vítima não conheceu a suspeita e nem a sua filha pessoalmente.

Em seguida, a investigada passou a narrar que havia registrado um boletim de ocorrência contra a vítima na Delegacia de Polícia Civil de Ituporanga e exigiu depósitos de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), R$ 3.000,00 (três mil reais) e R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) para que a história do estupro de sua filha fosse esquecida para que ninguém se incomodasse.

Durante a investigação foi possível identificar a autora T.A.M, moradora da cidade de Ituporanga, inclusive foi verificado, através de diligências, que a suspeita havia praticado o mesmo tipo de crime contra outra vítima no mês de maio de 2021, exigindo da vítima o valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) para que não procurasse a delegacia de polícia.

As ordens judiciais foram cumpridas na localidade Rio Perimbó, residência da investigada T.A.M, no local restou apreendido o aparelho celular da suspeita para ser devidamente periciado. O mandado de prisão preventiva restou devidamente cumprido no mesmo endereço.

Por fim, a presa T.A.M foi encaminhada até a Unidade Prisional Avançada de Ituporanga, ficando assim à disposição do Poder Judiciário da Comarca de Ascurra – responsável pela expedição das ordens judiciais.


Comente