Entretenimento

Atleta italiano cai em golpe e passa 15 anos achando que namorava Alessandra Ambrósio

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O jogador de vôlei italiano Roberto Cazzaniga passou 15 anos de sua vida acreditando namorar à distância a modelo brasileira Alessandra Ambrósio. O golpe, aplicado por uma mulher de 50 anos e outras duas pessoas, lhe rendeu um prejuízo de 700 mil euros (R$ 4,3 milhões).

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

A história foi amplamente divulgada pela imprensa italiana nesta quarta-feira (24) após ser revelada pelo programa de TV local Le Iene. Atualmente, Alessandra Ambrósio namora com o modelo Richard Lee. Cazzaniga atua por um time da segunda divisão da liga italiana de vôlei.

O golpe teve início em 2008, quando uma amiga do atleta passou o contato de uma mulher chamada “Maya” ao jogador. Nos primeiros contatos que teve com Cazzaniga, a golpista revelou que o nome, na verdade, era um pseudônimo e ela seria a modelo brasileira.

“Não, nós nunca nos conhecemos. Nunca. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. O contato era apenas no celular, quase que diariamente. Ligava antes de eu ir treinar ou à noite, na hora de dormir. Como ela me tirou todo esse dinheiro? Nem sei ao certo, mil euros aqui, outros dois mil ali… No final chegamos a um total de 700 mil. Passado este pesadelo, é como se tivesse acordado de um coma que me fez perder décadas de vida”, declarou o jogador, ao Corriere della Sera.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Segundo a imprensa italiana, a golpista justificava que não poderia se encontrar com Cazzaniga por causa de sua rotina de trabalho e também em razão de uma doença cardíaca. Para extorquir o jogador, ela alegava que sua conta era bloqueada em decorrência de problemas de herança.

A golpista não atuou sozinha. O esquema foi realizado com a ajuda do namorado de Maya, e por uma terceira mulher de 50 anos chamada Valeria, que se passava pela modelo nos telefonemas.

Fonte: SCC10


Comente