Presidente Getúlio

Bairro mais atingido pela enxurrada em Presidente Getúlio está 65% recuperado

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Fortemente atingido pela enxurrada de dezembro, o Ribeirão Revólver, em Presidente Getúlio, passa por desassoreamento e reconstrução do leito. O serviço, realizado com recursos da Defesa Civil Nacional, já está 65% concluído.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui!

A limpeza do local iniciou dos fundos do bairro Revólver em direção ao Centro. Desde fevereiro, máquinas realizam a retirada de entulhos, o enrocamento (estrutura de pedra feita nas laterais para conter o barro), além da plantação de grama.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Através de recursos enviados pela Defesa Civil Nacional, outras obras estão sendo executadas em diversos locais. Após levantamento realizado pela Prefeitura, o município recebeu R$ 16,9 milhões.

O valor está sendo aplicado também na reconstrução de pontes e bueiros, limpeza e desobstrução de vias e barreiras, contenção e recuperação de vias e recuperação de galerias e bota-foras (aterros).

O prefeito, Nelson Virtuoso, explica que o serviço iniciou pelos pontos mais urgentes. “Após a retirada de barreiras e limpeza e desobstrução de vias, foi dado início na desobstrução e recuperação do Ribeirão Revólver e paralelamente na reconstrução de pontes de madeira, usadas como único acesso a residências”, pontua.

Neste momento, está sendo feito o conserto da pavimentação da Rua Dr. Getúlio Vargas e da Rua Das Missões. Equipes seguem com a limpeza das vias, recolhimento de entulhos, reconstrução de pontes de madeira e concreto.

Até agora, estão concluídas 19, das 25 pontes de madeiras que foram levadas pelas águas e trabalha-se na execução de quatro, das 10 pontes de concreto. A retirada de barreiras também foi finalizada. Por conta da enxurrada, houve o deslizamento de 18.

Para acompanhar o andamento dos trabalhos, a Prefeitura criou uma planilha, disponível no endereço eletrônico https://bit.ly/3v9txdy. O prazo para o término das obras é 16 de junho, seis meses após a tragédia.


Comente