Santa Catarina

Bombeiro do Alto Vale que sofreu queda de bicicleta não morreu; Corpo de Bombeiros se manifestou e admitiu que se precipitaram

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A morte havia sido comunicada pelos próprios bombeiros. Lopes sofreu uma queda de bicicleta descendo a Estrada da Rainha no início da noite de terça-feira (14) e teria falecido no início da noite de sexta-feira (18). Porém a informação não prossegue. O Corpo de Bombeiros se manifestou e admitiu que se precipitaram em divulgar a morte do soldado.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

NOTA OFICIAL DOS BOMBEIROS

“Morte cerebral está descartada -Ao contrário da informação divulgada no sábado passado, o soldado Jeferson Fonseca Lopes, 29 anos, continua internado no hospital Marieta Konder Bornhausen, de Itajaí, se recuperando do acidente de bike que sofreu na estrada da Rainha, no dia 15 de junho. No sábado passado, o corpo de Bombeiros de Balneário Camboriú chegou a divulgar uma nota de pesar informando que o soldado Lopes tinha morrido.”

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Após a veiculação da nota de pesar, os familiares informaram que o soldado Lopes resistiu a suposta morte cerebral e segue se recuperando no hospital.

“Ele segue com cuidados de fisioterapia (motora e respiratória), não teve agravamento do quadro e, apesar da situação muito delicada e grave, as funções cerebrais estão respondendo (se descartando a morte cerebral)”, informou a corporação.

Também nesta sexta-feira, os bombeiros Militares, Comunitários e Guarda-Vidas Civis se reuniram na praia Central para homenagear e fazer orações pela recuperação do soldado Lopes.

O soldado, que é lotado no corpo de Bombeiros de Rio do Sul, sofreu uma queda de bicicleta na descida da estrada Rainha, entre Balneário Camboriú e Itajaí, no dia 15 de junho. Ele teria se desequilibrado ao bater em uma Scotter. O condutor da motinho, de 32 anos, só machucou o ombro. O soldado ficou inconsciente após a queda e foi socorrido e levado em estado gravíssimo ao Hospital.

Fonte: BMM | Franciel Marcon


Comente