Santa Catarina

Cachorrinha é encontrada viva após ficar dois dias enterrada em SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Uma cachorrinha foi encontrada viva após ficar cerca de dois dias enterrada em um buraco em Bombinhas, no Litoral catarinense. O resgate aconteceu na última sexta-feira (9) e ganhou repercussão esta semana na região. 

Segundo o presidente da ONG Protetores dos Animais de Bombinhas, Wilson Roberto Zambardino, quem encontrou o animal foram os moradores de um condomínio onde fica o terreno. Na quarta-feira (7), eles ouviram a cachorrinha uivar e latir e, por isso, acionaram a organização para o resgate. Porém, após buscas, não foi possível encontrá-lo no dia. 

Mas, a equipe não desistiu. Na sexta-feira, eles voltaram ao local quando outro morador escutou novamente a cachorrinha. Ela foi encontrada dentro de um cercado, quase totalmente enterrada. 

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Apesar das condições, Zambardino afirma que a suspeita é de que a cachorrinha tenha caido no buraco e não tenha sido vítima de maus tratos. 

— O condomínio é cercado e o local onde ela foi encontrada é de difícil acesso. Seria muito difícil alguém ir até ali para fazer isso — salienta.

Cachorra continua em tratamento 

Após o resgate, ela foi encaminhada ao veterinário. De acordo com a médica veterinária Janaína Diz, responsável pelo tratamento, Terrinha, como foi batizada, chegou bem debilitada e com dificuldades de andar. 

—Ela está se recuperando super bem. Como ela ficou se debatendo no buraco, ela não conseguia caminhar. Mas após alguns tratamentos e uso de anti-inflamatórios ela já voltou a andar — explica. 

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Além disso, durante o tratamento, foi identificado que a cachorra tinha a doença do carrapato, que afina o sangue. Por isso, a recuperação é ainda mais delicada. Ela deve permanecer internada por mais 15 dias. 

A ONG também descobriu que Terrinha estava registrada como um cão comunitário, ou seja, poderia ser tanto de um morador de rua ou era cuidada por uma comunidade. Até o momento, porém, ninguém apareceu para buscá-la. 

Zambardino reforça que ela está disponível para a adoção responsável. Para saber como ajudar é possível entrar em contato com a ONG pelo Facebook e Instagram. 

Fonte: NSC TOTAL


Comente