Santa Catarina

Chuva causa alagamentos e outros danos em SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A chuva causou alagamentos e a queda de um muro e um portão em Lages, na Serra catarinense, na tarde desta segunda-feira (28), informou a Defesa Civil do município. Oito bairros foram atingidos. Ninguém ficou ferido.

Na Grande Florianópolis, ocorreu uma queda de muro perto das 21h desta segunda em Biguaçu. A estrutura atingiu três carros e parte de uma casa no bairro Cachoeiras, informou o Corpo de Bombeiros. Ninguém se feriu. O muro tinha cerca de 30 metros de comprimento por 2,5 metros de altura.

Duas casas ficam no local. Uma delas foi atingida e a outra fica a um metro de onde houve o desmoronamento. Os bombeiros orientaram que as famílias deixassem as residências. A Defesa Civil foi chamada para avaliar os estragos no local e decidir se as casas precisam ser interditadas.

Em Joinville, no Norte do estado, ruas ficaram alagadas na zona Sul da cidade na noite desta segunda, conforme a Defesa Civil. Os principais bairros atingidos são Floresta, onde foi registrada a queda de um muro, Santa Catarina e Nova Brasília.

Orientações

Em caso de tempestades e alagamentos, a Defesa Civil orienta:

  • buscar local abrigado, longe de árvores, placas, postes e outros objetos que possam ser arremessados em local abrigado,
  • ficar longe de janelas e desligar aparelhos eletrônicos em casa,
  • o banheiro de alvenaria é o local mais seguro,
  • se estiver na praia, não ficar na água,
  • evitar entrar em contato com a água ou dirigir em locais alagados,
  • atenção com crianças próximas a rios e ribeirões.

Chuvas em SC

No domingo (27), um temporal atingiu o litoral catarinense. Cidades do Litoral Norte e Florianópolis tiveram alagamentos. A Defesa Civil da capital interditou parcialmente um prédio residencial no bairro Ingleses. Por conta do acúmulo de chuva, o telhado foi danificado e a água atingiu a tubulação elétrica.

Entre 16 e 17 de dezembro, uma enxurrada no Vale do Itajaí deixou 21 pessoas mortas em Presidente Getúlio, Rio do Sul e Ibirama.


Comente