Santa Catarina

Comoção e revolta marcam enterro de menina morta pelo pai em SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O clima era de muita comoção e também revolta no velório e no enterro da pequena Evylin Vitoria Modrok, a menina morta pelo próprio pai em Guramirim aos 4 anos de idade.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Evylin foi velada e sepultada neste domingo (13) um dia depois de ter sido encontrada morta na casa do pai, Ubiratan Luis Modrock. Ele confessou o crime à polícia.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

A menina foi velada na Capela Mortuária Leier, no bairro Nova Esperança, até o início da tarde. Depois, Evylin foi sepultada no Cemitério Municipal.

A mãe da menina, Francieli Bergula, estava muito abalada. Ela depositou uma rosa vermelha sobre o caixão da filha única e precisou ser amparada por familiares.

Janaína Silveira, que foi babá de Evylin, contou um pouco sobre a menina para a repórter Dani Lando, da NDTV. “Ela era uma pessoa muito meiga, amável, sempre brincando com as coleguinhas. Não tem explicação como ela era, muito educadinha, era uma criança adorável, amada por todos”, relembra.

A mulher conta ainda que Ubiratan Luis Modrock pediu socorro a ela e ao marido, que eram vizinhos do casal. “Ele falou assim: ‘Jana, chama o bombeiro e a polícia que vieram aqui, mataram a Evylin e tentaram me matar’. Foi a mensagem que ele passou para mim, era umas 11h40 da manhã [de sábado, 12]”, relata.

Mensagens para a ex-mulher

Segundo testemunhas, Ubiratan teria enviado uma mensagem para a ex-mulher às 22h pedindo que ela fosse até a casa dele e fizesse uma sopa, pois a filha não estaria se sentindo bem.

Francieli, então, atendeu ao pedido. Ele teria insistido para que ela dormisse na casa, mas desconfiada a mãe de Evylin teria preferido ir embora. Por volta da 1h30 da madrugada ele teria enviado outras mensagens, desta vez em tom de ameaça.

Parentes e amigos desconfiam que a intenção de Ubiratan era matar também a ex-companheira. Em março, Francieli já havia registrado um boletim de ocorrência, pois o ex-marido havia ameaçado cometer o crime. O celular da mãe foi entregue para a Polícia Civil, que agora vai analisar as conversas. Ubiratan está preso.

Crime chocou SC

Evylin Vitória Modrok foi encontrada morta na casa do pai com sinais de estrangulamento. O homem, que acionou a polícia, chegou a contar uma história, dizendo que a casa havia sido invadida, que ele havia recebido golpes de faca e ficado inconsciente e que, quando acordou de manhã, encontrou a filha morta.

A Polícia Civil e perícia do IGP (Instituto Geral de Perícias), porém, não encontraram vestígios da história contada pelo pai. Por fim, o homem confessou que matou a menina e que tentou tirar a própria vida.

Em depoimento, o homem teria dito que matou a menina porque ela estava sofrendo muito com a separação dos pais. Ubiratan e Francieli estão separados há quatro meses e ela buscava na Justiça a guarda definitiva da menina.

Uma das últimas vezes que Evylin foi vista com vida foi por um vizinho que tem uma filha da mesma idade e as meninas costumavam brincar juntas. Pedro Henrique Mascari contou que a relação da família com os vzinhos era boa, mas que depois da separação a menina mudou de comportamento.

“A gente foi percebendo que a menininha foi começando a ficar meio doentinha, meio desanimada”, conta Pedro, que a viu pela última vez na sexta-feira (11) à tarde. Na ocasião, ele apontou para um balão que voava no céu. “Eu o mostrei para ela. Ela estava meio tristinha, mas ainda sorriu”.

Fonte: ND Mais


Comente