Alto Vale

Defesa Civil emite nota sobre as operações das Barragens no Alto Vale

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A Defesa Civil de Santa Catarina vem a publico esclarecer alguns detalhes sobre a operação das barragens de Ituporanga e Taió. O trabalho é realizado com base no Manual de Operação das Barragens que foi construído por especialistas e por um empresa especializada em hidrologia. De acordo com o Manual a abertura das barragens é prevista quando o rio, nas proximidades do município de Rio do Sul, esteja abaixo dos 4,75 metros, considerando ainda a chuva acumulada e prevista em 24 horas.

Faça parte do nosso grupo de Notícias no WhatsApp, clique Aqui!

Para a definição deste quadro foram analisados inúmeros cenários e considerando as melhores condições de escoamento da bacia. Assim foi definido que abaixo dos 4,5 metros o rio está em carga plena e dentro do leito principal possibilitando o melhor escoamento. Acima dos 5,5 metros o rio começa atingir a calha secundária, várzeas e planícies de inundação e entra em outro regime que é muito mais lento, interagindo com a vegetação e prejudicando o escoamento. Enquanto está no leito principal o rio está fluindo em carga plena.

A DCSC contempla as barragens como instrumentos de regulação de cheias, mas é necessário levar em conta as planícies de inundação como reservatórios de água. Desta forma, se conseguimos manter o rio no leito principal estas áreas servem como zona de amortecimento, principalmente se os índices pluviométricos incidirem em regiões não influenciadas pela contenção das barragens. É muito importante termos a consciência que é necessário que as planícies de inundação estejam livres para amortecer uma eventual inundação.

As barragens estão cumprindo o papel de conter a água à montante. As barragens foram projetadas para verter e caso isso ocorrera será de forma gradual e controlada, possibilitando uma ação ordenada e planejada de preparação e resposta caso exista a necessidade.
A DCSC permanece a disposição para esclarecer dúvida. Defesa Civil somos todos nós.


Comente