Alto Vale

Festas clandestinas preocupam na região do Alto Vale

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Com uma nova onda de casos de coronavírus atingindo diversos países do mundo e trazendo aumento das internações, inclusive no Brasil e em Santa Catarina, o alerta das autoridades de saúde diz respeito ao relaxamento das normas de segurança por parte da população. Prova do desrespeito é que apesar da proibição a Polícia Militar flagrou no fim de semana um evento clandestino com mais de 600 pessoas em Pouso Redondo. Esse já é o terceiro caso parecido em poucos dias.

+ Faça parte do nosso grupo de notícias no WhatsApp, acesse aqui!!

O comandante do 13° Batalhão de Polícia Militar, Renato Abreu, explica que a PM chegou aos eventos através de denúncias e também de informações obtidas através das redes sociais. Num deles, na localidade conhecida como “Sumidor” havia cerca de 600 pessoas e os policiais fizeram ainda uma grande apreensão de vários tipos de drogas, entre elas 160 comprimidos de ecstasy, 450 pontos de LSD, cigarros, buchas de maconha e uma quantia em dinheiro. “Apreendemos também dinheiro, convite e pulseiras que configuraram que se tratava de um evento pago, privado e em desacordo com a legislação”, esclarece.

Ele afirma que a mudança na classificação de risco, já que o Alto Vale passou do Grave para Alto, e em consequência disso a liberação de alguns tipos de eventos sociais como casamentos e formaturas com limitação de público, muitas pessoas acreditam que é possível fazer eventos sem a devida punição. “Esses eventos que estão liberados tem que seguir todas as regras em vigor para manter a segurança e questão sanitária. Alguns estão confundindo e achando que já podem fazer qualquer tipo de evento, mascarando como se fosse um aniversário, uma coisa menor, mas a Polícia Militar está atenta e fazendo as fiscalizações ”, ressalta.

Para que a situação não volte a piorar ele alerta que é essencial que a população continue tendo cuidado e mantendo o máximo de distanciamento possível. “Mesmo nos eventos permitidos atualmente, é preciso realizar conforme preconizam as regras em vigos para que possamos manter e reduzir o número de infectados no Alto Vale que está tendo uma boa resposta se compararmos com o Estado, mas todos tem que colaborar para isso, cuidar da sua saúde e também da saúde do outro”, completa.

Ele finaliza dizendo que quem promove eventos clandestinos como os que ocorreram em Pouso Redondo e Ibirama serão enquadrados no art. 268 do Código Penal, que configura infração de medida sanitária preventiva e terão que responder judicialmente pelo crime. No caso da festa “rave” em Pouso Redondo, atuaram na fiscalização guarnições da polícia militar de Taió, Pouso Redondo e Trombudo Central.

Ibirama teve baile em residência

Além da festa em Pouso Redondo, a Polícia investiga uma festa clandestina que teria ocorrido em Ibirama na noite de sábado (24), em uma residência da cidade. Imagens de um vídeo que chegou ao conhecimento da PM mostram o baile com aglomero e artistas tocando ao vivo mesmo em meio a pandemia e com um decreto municipal proibindo a realização deste tipo de evento.


Comente