Santa Catarina

Governador de SC será afastado após tribunal de julgamento aceitar denúncia de pedido de impeachment

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O tribunal de julgamento do 2º pedido de impeachment contra o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), aceitou parcialmente nesta sexta-feira (26) a denúncia contra ele no caso da compra dos respiradores. Com isso, Moisés será afastado do cargo por até 120 dias a partir da próxima terça-feira (30). Enquanto ele não estiver no posto, o estado será comandado pela vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido).

> Receba notícias de Pouso Redondo e região do Alto Vale pelo WhatsApp

O pedido de impeachment está relacionado à compra dos 200 respiradores por R$ 33 milhões com dispensa de licitação, feita no início da pandemia da Covid-19.

Como a denúncia foi aceita, Moisés será julgado por crime de responsabilidade em outra data a ser definida. Se for condenado, perde o cargo de forma definitiva e Daniela Reinehr assume. Essa é a segunda vez que ele é afastado do cargo em cinco meses (veja mais abaixo).

> Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Os cinco desembargadores e um dos cinco deputados estaduais integrantes do tribunal especial de julgamento entenderam que o chefe do Executivo teria conhecimento da compra dos equipamentos sem a observância das prescrições legais. Por isso, ele será afastado.A sessão foi virtual, começou às 9h05 e terminou por volta de 23h30.

Confira como votou cada um dos desembargadores e deputados estaduais que compõem o tribunal de julgamento:

  • Desembargadora Rosane Portella Wolff (relatora): votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Desembargadora Sônia Schmitz: votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Deputado estadual Marcos Vieira (PSDB): votou contra a abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Desembargador Roberto Pacheco: votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Deputado estadual José Milton Scheffer (PP): votou contra a abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Desembargador Luiz Zanelato: votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Deputado Valdir Cobalchini (MDB): votou contra a abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Deputado Fabiano da Luz (PT): votou contra a abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Desembargador Luiz Fornerolli: votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.
  • Deputado estadual Laércio Schuster (PSB): votou parcialmente favorável à abertura do processo de impeachment contra Moisés.

Fonte: G1


Comente