Santa Catarina

Governo de SC detalha ações para conter paralisação de caminhoneiros

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

O governo de Santa Catarina promoveu coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (9), na Defesa Civil estadual, em Florianópolis. Em pauta, estão as ações do Estado para manter os serviços essenciais, diante do bloqueio de rodovias federais pelos caminhoneiros.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

À frente do recém-instalado Centro de Controle e Operações, o coronel Charles Alexandre Vieira, presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e comandante-geral do CBMSC (Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina) foi quem comandou o encontro.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Durante a coletiva, o coronel destacou o decreto publicado nesta quinta pelo governo do Estado para que veículos da Saúde tenham prioridade no acesso a combustíveis e insumos necessários ao funcionamento das atividades, em especial para o enfrentamento à pandemia e a continuidade da campanha de imunização.

Segundo ele, ações operacionais serão feitas pelas forças de segurança do Estado. O intuito é desbloquear os pontos que ainda permanecem parados pelos caminhoneiros e garantir o livre tráfego daqueles que não desejam participar das mobilizações.

“Vamos manter a cadeia produtiva alimentada para que o cidadão catarinense não seja prejudicado”, afirmou.

Detalhes do decreto

Detalhes do decreto publicado pelo governo do Estado foram anunciados durante a coletiva.

O objetivo do documento é garantir que os insumos da saúde cheguem aos cidadãos. Para isso, veículos da Segurança Pública e da Saúde terão prioridade de abastecimento no Estado.

O decreto também determina que o Procon estadual atue contra o aumento arbitrário dos preços dos combustíveis e que as forças de segurança sigam acompanhando as movimentações no Estado.

Movimento desordenado

O comandante-geral do CBMSC afirmou que tem observado junto com a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e PMRv (Polícia Militar Rodoviária) que os atos promovidos pelos caminhoneiros são “desordenados”. Ressaltou, ainda, que não há a defesa de uma pauta única.

Vieira acrescentou que a PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) aplicará a medida cautelar que prevê o desbloqueio de pontos nas rodovias.

“Estamos dialogando para desbloquear os pontos e garantir que os insumos e combustíveis cheguem aos cidadãos catarinenses. Estamos observando e indo ponto a ponto para negociar a liberação”, disse.

Atuação das polícias

O superintendente da PRF em Santa Catarina, inspetor André Saul do Nascimento, afirmou que o órgão tem monitorado as ações dos caminhoneiros no Estado.

“Temos agido a partir do momento que identificamos pessoas que não queriam estar lá e que isso está trazendo prejuízos significativos à circulação de mercadorias”, disse.

Segundo ele, na noite desta quarta-feira (8) houve a desmobilização de pontos significativos no Estado. “Tivemos grandes avanços. Estamos recebendo reforço do governo federal e de servidores da PRF especializados em negociação e instrução de vias. A polícia tem atuado para garantir o direito de ir e vir”, afirmou.

Conforme o superintendente, na terça-feira (7) havia 26 pontos de bloqueio ativos em rodovias federais do Estado. Nesta quinta, há quatro pontos ativos com mobilidade parcial. “Acreditamos que o movimento está enfraquecendo e rumando à normalidade”, avaliou.

Quanto às rodovias estaduais, o comandante-geral da PMSC, coronel Dionei Tonet, disse que os agentes estão trabalhando para que não haja mais bloqueios. Além disso, cumprirão a medida liminar de desocupação da base de distribuição de combustíveis em Antônio Carlos, na Grande Florianópolis.

“Estamos pautados na determinação do governo com o uso progressivo de meios para frear as mobilizações. Apresentaremos a liminar e, caso não seja cumprida, serão tomadas medidas com uso escalonado da força para que sejam restabelecidas as condições de abastecimento, principalmente, dos caminhões que levam combustíveis aos postos”, garantiu.

Fonte: ND Mais


Comente