Alto Vale

Jovem de 22 anos que morreu no Alto Vale por Covid-19 tinha medo de contrair a doença, diz tia

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A família da publicitária Jéssica da Silva Sinn, de 22 anos, que morreu de Covid-19 e não tinha comorbidades, afirma que ainda tenta lidar com a notícia a perda da jovem em Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí. Segundo a tia, Simone Sinn, Jéssica planejava abrir uma loja on-line, tinha acabado de receber a carteira de motorista e passava os fins de semana em casa com a família.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

“Ela amava jogar canastra, vinha nos fins de semana jogar na minha casa, com o namorado e com minha mãe. Não ia em festas por medo de pegar Covid”, afirma a tia da jovem.

Jéssica era responsável por toda a parte de marketing da empresa de artesanato que tocava junto com sua mãe, Soraia Sinn. As duas contraíram o vírus, mas Soraia não precisou ser internada.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

“Era um projeto de mãe e filha com tanto amor. Não sei como vou continuar sem ela”, disse a mãe de Jéssica.

No dia do sepultamento da filha, na terça-feira (1º), a mãe, que se recupera em casa (por ter passado o tempo de transmissão do vírus) foi à cerimônia, mas precisou ficar sentada por ainda sentir fraqueza muscular. Não houve velório.

Jéssica deu entrada no hospital com sintomas da doença no fim de semana. Segundo a dia da jovem, durante a internação ela “sempre dizia que estava melhorando” quando era perguntada pelos familiares como estava.

“Uma menina incrível. […] Ela tinha certeza que ficaria boa, fizemos planos para quando ela sairia. Prometi que só faria a sobremesa que ela adorava quando ela saísse”, relembra a tia.

Segundo o hospital, o quadro de saúde dela se agravou, e ela precisava ser transferida, pois o hospital em Presidente Getúlio não tem Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A jovem foi levada para a sala de emergência para esperar uma ambulância e ser encaminhada ao Hospital Doutor Waldomiro Colautti, em Ibirama. Mas morreu antes de ser transferida. Segundo a Secretaria de Saúde do município, ela não possuía problemas de saúde.

Jéssica da Silva Sinn ficou três dias internada no Hospital e Maternidade Maria Auxiliadora. Até a publicação desta reportagem, o G1 tentava contato com o hospital para informações sobre a transferência.

Fonte: G1

Comente