Sem categoria

Jovem morta pelo pai tentou defender a mãe, diz polícia

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Ao que tudo indica, Géssica Tizon, 21, morreu ao tentar proteger a mãe, diz a Polícia Civil sobre o assassinato ocorrido em Rodeio, no Vale do Itajaí, na noite desta segunda-feira (12). O pai da jovem invadiu a casa dos ex-sogros e esfaqueou cinco pessoas, entre elas a ex-esposa e a própria filha.

Conforme o delegado Ronnie Esteves, no começo da tarde desta segunda a mãe de Géssica procurou a polícia para pedir uma medida protetiva de urgência contra o então marido, de quem queria se separar. A Polícia Militar a acompanhou até a casa, no bairro Rodeio 32, ela recolheu os pertences dela e dos dois filhos mais novos e foi para a residência dos pais, que fica próxima ao local.

Géssica, que morava em Gaspar, mas trabalhava em Timbó, veio ao saber da situação para ver a mãe e os irmãos. Enquanto estava no imóvel dos avós, o pai dela chegou com uma espingarda e uma faca.

— Tudo leva a crer que assim que o agressor retornou para casa se deparou com a situação [ida da mulher e filhos] e foi até a casa dos sogros já com a intenção de tirar a vida da esposa. Pelo que se percebeu, a filha tentou impedir isso — conta Ronnie.

Quando o oficial de Justiça foi levar o deferimento da medida protetiva, a tragédia já havia acontecido. O homem feriu Géssica com pelo menos três golpes no peito. A mãe dela também foi atingida no peito e braço, porém, tanto ela quanto as demais vítimas não correm risco de morte, conforme informado à polícia no final desta madrugada. Ela irá ao velório da filha em Gaspar.

Durante o ataque, apenas duas pessoas não foram feridas: os filhos mais novos do casal, que foram acolhidos pelo Conselho Tutelar do município. Depois de cometer os crimes, o pai de Géssica voltou para casa dele, cortou os próprios pulsos e golpeou a barriga com a faca. Na sequência, caminhou em direção à mata, mas caiu em um córrego e foi capturado pela PM. Ele está internado em Timbó sob custódia policial e também tem o quadro de saúde considerado estável.

“Realmente choca”

O flagrante foi feito por feminicídio, duas tentativas do mesmo crime (contra a ex-companheira e sogra) e duas tentativas de homicídio qualificado contra o ex-cunhado e sogro. Além disso, ele deve responder pelo porte ilegal de arma de fogo. A perícia não encontrou indícios de que disparos foram efetuados.

A Polícia Civil deve ouvir testemunhas e aguarda a Justiça definir se o homem permanecerá preso preventivamente ou não. Em caso positivo, ao receber alta ele será levado direto ao presídio.

O crime impressionou a pequena cidade do Médio Vale do Itajaí e também aos investigadores:

— Não lembro de ter presenciado nada parecido. Realmente choca — resume Esteves.

Despedida

O corpo de Géssica deve ser sepultado em Gaspar. A mãe dela e a avó, mesmo feridas, serão levadas ao cemitério para a última despedida. O horário do sepultamento não foi informado.

Comente