Alto Vale

Lavouras são atingidas pela terceira vez no Alto Vale

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

No início dessa semana diversos municípios do Alto Vale foram atingidos por uma grande quantidade de granizo, as pedras de gelo deixaram as ruas brancas e trouxeram novamente prejuízos para os agricultores. Dessa vez o município de Petrolândia foi o mais atingido, estima-se que até 350 famílias tenham sido afetadas em quatro comunidades rurais. As informações são do Diário do Alto Vale.

+ Faça parte do nosso grupo de notícias no WhatsApp, acesse aqui!!

O engenheiro agrônomo, extensionista rural do Escritório Municipal da Epagri de Petrolândia, Tomás Pellizzaro Pereira, explica que essa já é a terceira vez que o município é atingido em poucos meses. Em junho o ciclone que passou pela região deixou diversos estragos nas lavouras, e no início do mês passado, o temporal com vento e granizo causou grandes prejuízos para o município. Dessa vez, Tomás estima que cerca de 700 hectares de fumo tenham sido atingidos, já nas lavouras de cebola são cerca de 1.200 hectares afetados e nas de milho as perdas podem chegar a até 300 hectares.

Tomás explica que a Epagri e a Secretaria de Agricultura do município ainda estão trabalhando no programa Proagro referente às perdas causadas pelo temporal do último mês e que agora devem visitar os agricultores novamente. “Estive conversando com alguns agricultores que relatam perdas elevadíssimas. A estimativa é de perdas de 70% a 100%, gente que praticamente perdeu tudo. Claro que é uma estimativa inicial e que o fumo tem uma capacidade de rebrote ainda, mas mesmo assim as perdas foram bem grandes”, relata.

Segundo o engenheiro agrônomo, a cebola é a plantação que menos sofreu dessa vez por estar em fase de colheita.

A cidade de Witmarsum também registrou estragos, por lá a cultura mais afetada foi a do tabaco, o secretário de agricultura, Charles Edir Kohlrausch, explica que esteve visitando os agricultores nessa quarta-feira (4) e diz que o cenário é triste em algumas propriedades. “Como todo o granizo, esse pegou apenas tiras ou partes das lavouras por isso as vezes uma propriedade foi atingida e a outra do lado não teve quase nenhum estrago, mas pelo menos 10 propriedades nas quais eu passei foram bem afetadas. O granizo não foi tão forte, mas como houve vento forte junto, a folha acabou quebrando e furando. Hoje mesmo quando cheguei em uma residência um agricultor estava ligando para a empresa buscando pela assistência técnica para fazer o laudo e acionar o seguro, lá a perda foi praticamente total”, explica.

Charles ressalta ainda que o grande problema é que as folhas quebradas e sujas não tem aproveitamento para a indústria, assim como as furadas podem ter recuperação parcial, mas acabam sendo classificadas como inferiores e isso faz com que o preço pago ao produtor despenque.
A capital da cebola também foi atingida pelo granizo, dessa vez, segundo moradores, as pedras de gelo não causaram grades estragos, ao contrário de Petrolândia, em Ituporanga o registro do granizo foi no início da tarde dessa quarta-feira (4) em algumas propriedades.

Além dos temporais de pedras nos últimos meses, os agricultores vêm sofrendo com a seca, a falta de chuvas já é uma realidade que preocupa


Comente