Coronavírus

“Lockdown não funcionou em lugar nenhum do mundo”, diz secretário da Saúde de SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Em entrevista concedida à GloboNews na manhã desta quinta-feira, 4, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, defendeu que a medida mais restritiva que pode ser tomada contra o coronavírus – conhecida como lockdown – não funcionou em lugar nenhum do mundo.

Faça parte do nosso grupo de Notícias no WhatsApp, clique Aqui!

“Lockdown percebe-se claramente que não funcionou em lugar nenhum do mundo. É só olhar para Portugal, França e Espanha, o que aconteceu lá. O que precisamos é tomar atitudes que restrinjam a circulação de pessoas, mas que elas sejam obedecidas. E para isso, precisamos da consciência de todos”, afirmou.

Mais à frente, entretanto, ele voltou atrás e afirmou que algumas concepções do que é o lockdown não são viáveis.

“Não estou dizendo que lockdown não funciona. Eu estou dizendo que restrição de atividades, que vocês chamam de lockdown, não funciona. Atuar claramente naqueles ambientes onde mais se transmite o vírus funciona, desde que as pessoas cumpram”, pontuou o secretário.

Além disso, André Motta Ribeiro garantiu que os hospitais catarinenses estão “muito bem organizados”. Ele lembrou que é médico emergencista há trinta anos e que há um ano o estado tem se preparado para momentos mais críticos da pandemia. Entretanto, ele admitiu que falhas “provavelmente” aconteceram.

Pessoas não estão morrendo por falta de leitos de UTI

Questionado sobre a situação de colapso no sistema de Saúde, o secretário disse que o motivo para óbitos de pacientes não tem sido a espera por leitos de UTI, mas sim a gravidade da doença.

“As pessoas não estão morrendo porque estão na fila esperando UTI. As pessoas estão morrendo porque essa doença é uma doença grave. Inclusive pacientes em UTI estão perdendo a vida e isso é algo lamentável, é triste”, defendeu.

Segundo levantamento, pelo menos 44 pessoas morreram por complicações da Covid-19 enquando aguardavam leitos de UTI no estado. Os dados são da Secretaria de Saúde, e consideram apenas o mês de fevereiro. Desses óbitos, 15 foram em Xanxerê, 12 em Chapecó, 12 em São Miguel do Oeste, quatro em Maravilha e um em Itapema.

“Dizer que Santa Catarina tem como última alternativa transferir pacientes para outros estados é uma análise um tanto quanto rasa. Essa é uma doença da sociedade. São pessoas contaminando pessoas, e é assim que nós temos que encarar isso”, finalizou.

Secretaria divulgou nota sobre entrevista

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Saúde se posicionou sobre a fala do secretário na entrevista. O texto ressalta que “as medidas mais duras trazem efeitos sociais e econômicos que não devem ser desprezados pelas autoridades públicas. Neste sentido, a defesa de Motta Ribeiro é por medidas que sejam articuladas entre os diferentes setores da sociedade”.

Confira a nota na íntegra:

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, esclarece que desde o início da pandemia o Governo do Estado de Santa Catarina vem adotando protocolos sanitários  de distanciamento social, neste sentido, acredita na eficácia de tais medidas para conter o avanço do coronavírus. Esclarece ainda que a gravidade da doença e o nível de desconhecimento sobre o comportamento do vírus torna o desafio sem precedentes na história da ciência e da gestão sanitária mundial. Ao longo do tempo, mesmo países desenvolvidos não evitaram perdas de vidas. As medidas mais duras trazem efeitos sociais e econômicos que não devem ser desprezados pelas autoridades públicas. Neste sentido, a defesa de Motta Ribeiro é por medidas que sejam articuladas entre os diferentes setores da sociedade, conscientização e compreensão de todos, além de fiscalização para que, na prática, essas ações sejam eficazes.


Comente