Santa Catarina

Mãe reencontra sua filha recém-nascida depois de 42 dias na UTI com Covid-19 em SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Foram 42 dias de espera para que Mariana Miranda, 31 anos, pudesse reencontrar a filha recém nascida, Lara. Após ficar internada na UTI por complicações da Covid-19, a mãe recebeu alta do Hospital da Unimed em São José, na Grande Florianópolis, no dia 28 de abril. O momento do reencontro da família foi emocionante.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Ao sair do hospital acompanhada da equipe médica, Mariana recebeu o carinho de pessoas que a aguardavam com mensagens de apoio e balões. A mãe ficou emocianada ao reencontrar a família e, principalmente, a filha Lara.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

— Foi um sentimento de alegria ver ela saindo daquele hospital. Só tenho gratidão a Deus e a todos nossos amigos e familiares que oraram por ela — relata o marido, Paulo Silva Júnior.

Mariana se recupera da Covid-19 em casa, ao lado da filha Lara(Foto: Paulo Silva Júnior/Arquivo Pessoal)

A luta contra Covid

Mariana estava prestes a dar à Luz a primeira filha, quando foi diagnosticada com coronavírus. A bebê Lara nasceu no dia 10 de março, e dois dias depois elas receberam alta do hospital. No entanto, a mãe ainda estava bastante fraca por conta do coronavírus e piorou. Ela ficou apenas seis dias com a recém-nascida e teve que voltar ao hospital, no dia 16 de março. 

O marido conta que desde que Mariana foi internada, o quadro de saúde dela foi piorando a cada dia, o que o deixou mais apreensivo. No dia seguinte em que deu entrada no hospital, ela precisou ser transferida para a UTI, foi intubada e sedada.  

— Na segunda semana que ela estava na UTI, a Mariana teve uma piora bem considerável. Os médicos chegaram à conclusão que era uma piora tardia da Covid. Chegou uma hora que ela estava usando cinco antibióticos. A médica me chamou pra conversar e disse: ‘Olha, Paulo, a gente já está usando as últimas alternativas, usando todos os antibióticos possíveis, mas pode ser que ela venha a falecer’. Foi horrível. A gente botou na mão de Deus, porque se a Medicina falou que não tinha mais alternativa, só tínhamos Deus — relata.

Além do medo de perder a esposa, Paulo tinha mais um desafio: cuidar da filha recém-nascida. Ele conta que se não fosse a ajuda da família não teria conseguido. 

— Foi bem difícil. Na situação de pai, eu era totalmente leigo. Eu estava aprendendo com a Lara nos meus braços. Mas tive muita ajuda do meu sogro e da minha sogra. Ela foi uma mãe pra Lara, e ainda é, porque a Mariana ainda está bem debilitada — conta. 

O marido conta que Mariana ainda está fraca, e não consegue ficar muito tempo com Lara no colo, mas, segundo ele, já melhorou desde que saiu do hospital. A mãe de primeira viagem se recupera da Covid-19 em casa, em Palhoça, ao lado da família. Depois de tanto tempo longe, agora ela não consegue sair de perto da filha recém-nascida.

CONFIRA O VÍDEO DA NSC TOTAL:


Comente