Presidente Getúlio

Moradora recupera foto levada pela enxurrada em Presidente Getúlio

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Uma imagem que representa um dos momentos mais felizes e que trouxe um novo significado para a vida de uma família após a tragédia causada pela enxurrada em Presidente Getúlio. A foto que ficou marcada pela lama, foi a única que restou do álbum de gravidez de uma moradora da cidade. A recordação levada pelas águas, assim como muitos bens materiais e até mesmo vidas, foi encontrada e devolvida à dona que ficou emocionada com a surpresa.

A autônoma Gisele Kureck Martins conta que mora numa rua próxima ao Bairro Revólver, um dos mais atingidos da cidade e teve a casa invadida pela água de forma repentina. Segundo ela, em meio ao caos não houve tempo para resgatar as fotografias de suas duas gestações que ficavam guardadas na estante da sala e que desde então ela acreditava terem sido perdidas para sempre. “Todas as minhas fotos ficavam dentro de um móvel na sala e vi que estavam molhando, mas estava com meu filho pequeno no colo e não tivemos tempo de salvá-las, então todas as imagens das minhas duas gestações, do meu filho de um ano e oito meses e do outro de seis foram perdidas o que me doeu muito porque os móveis a gente pode comprar novos , mas esses momentos não voltarão nunca mais”, comenta.

Para sua surpresa, há dois dias ela recebeu uma mensagem numa rede social da enfermeira Cheila Hoepers contando que havia encontrado uma de suas fotos e resolveu devolvê-la a dona. “Meu coração acendeu. Era uma das tantas fotos da gravidez do meu pequeno Miguel, que eu perdi naquela madrugada tão triste. Só sobrou essa. A Cheila parou no meio do lodo, dos entulhos, pegou, guardou e pensou em devolver. A foto ficou toda suja mas não quero nem limpá-la, apenas colocar num quadro porque ela representa muita coisa. Essa nem era uma das minhas favoritas, mas passou a ser, porque ela volta pra mim carregada de amor e compaixão”, relata.

Gisele destaca que ao receber a fotografia ficou muito emocionada e que o fato da enfermeira ter se preocupado em juntar e guardar a imagem foi uma lição de empatia e sensibilidade. “Talvez esse seja o maior legado que essa tragédia nos trouxe, amor ao próximo, compaixão, empatia, gratidão. Não foi fácil, não está sendo fácil, mas gestos como esse fazem a gente ver que o ser humano é bom, que o amor move o mundo, e que temos solução”, completa.

A moradora ainda ressaltou que apesar dos momentos difíceis, hoje eles procuram seguir a vida e são muito mais gratos. “A gente perdeu bastante coisa. A água entrou e bateu aquele desespero, mas quando baixou e vimos tudo que tinha acontecido chegamos a conclusão de que não dá nem para reclamar porque a família está completa. De toda a tristeza a gente está tirando lições”, conclui.

“Para eles era uma história”, diz enfermeira

A enfermeira conta que a unidade de saúde onde trabalha também foi atingida e ela encontrou a foto de Gisele e do marido em cima da lama e na hora pensou em guardar. “Pensei que era a única coisa que poderia ter sobrado para eles. Para mim era uma foto, mas sei que para eles era uma história e tem todo um sentimento por trás. Guardei e pensei quando tudo passar vou devolver e fiquei muito feliz de poder entregar para ela e propiciar um momento feliz depois de tudo que passamos”, afirmou Cheila.


Comente