Mundo

No dia 21/12, o céu será iluminado pela “Estrela de Belém” pela primeira vez há quase 500 anos!

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Em um ano tão difícil e cheio de desafios, como 2020, o mês de dezembro trará uma surpresa especial, que iluminará o céu na última dezena do ano, e muita inspiração e energias positivas para todos nós no novo ciclo que se aproxima.

+ Faça parte do nosso grupo de notícias no WhatsApp, acesse aqui!!

Um evento raro e especial iluminará o céu entre os dias 16 e 21 de dezembro. Esse evento, conhecido como “Estrela de Belém”, acontece quando Saturno e Júpiter estão alinhados e são enxergados por nós como dois pontos brilhantes juntos no céu, como se fossem um planeta duplo.

Entre esses dias, a tendência é a aproximação dos dois planetas ser cada vez menor e o pico de proximidade acontecer no último dia do evento, 21/12. Em praticamente toda a Terra, as pessoas poderão contemplar o fenômeno e apreciar a beleza que ele trará para o céu no final de 2020.

Segundo reportado pelo G1, a última vez que esse fenômeno aconteceu com os planetas tão próximos um do outro foi em 1623, quase cinco séculos atrás.

O fenômeno da “Estrela de Belém” ou “Estrela do Natal” é tão raro porque cada planeta tem o próprio tempo para girar em torno do Sol, o que torna as conjunções um verdadeiro fenômeno.

“Todos os corpos celestes estão em movimento. Em especial, o Sol e os planetas se movimentam em uma linha no céu chamada Eclíptica. Quando ocorre um cruzamento dos planetas, a gente chama de conjunção”, afirma Felipe Navarete, pesquisador do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP (IAG-USP).

Segundo o Último Segundo IG, o astrônomo Patrick Hartigan disse, em entrevista à Forbes, que teríamos de voltar até pouco antes do amanhecer de 4 de março de 1226 para que pudéssemos ver um alinhamento como esse no céu noturno. O especialista acredita que a “Estrela de Belém” voltará a acontecer em março de 2080.

Felipe Navarete disse ao G1 que será possível diferenciar os dois planetas, pois Júpiter será mais brilhante. A olho nu, será possível testemunhar o fenômeno, mas não com muitos detalhes.

Para acompanharmos a “Estrela de Belém”, será necessário olhar na direção do pôr do sol. Logo que o sol se puser, ele aparecerá um pouco mais acima do horizonte e, quanto mais limpo for o campo de visão, melhor o fenômeno poderá ser observado.

E aí, está preparado para esse grande evento?


Comente