SC

‘Paixão doentia’ motivou morte de adolescente achada amarrada em árvore em SC

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Uma “paixão doentia” teria motivado o assassinato de Ana Kemilli, de 14 anos, encontrada morta e amarrada a uma árvore no dia 10 de fevereiro pelo ex-namorado, um jovem de 21 anos, segundo o delegado que investiga o feminicídio, Fabiano Schmitt, da Delegacia Regional de Lages.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

O crime aconteceu no interior de Campo Belo do Sul, na Serra catarinense, perto da casa da vítima, e envolveu, ainda, a irmã do suspeito, de 19 anos, e um adolescente, de 15. Segundo o delegado, Ana e o suspeito eram vizinhos, se conheciam desde crianças e as famílias eram próximas.

No entanto, a relação esmoreceu em 2020, quando Ana Kemilli rompeu o breve relacionamento que teve com o investigado. Ele não aceitava o término e passou a ameaçar a família da vítima, a persegui-la nas redes sociais e chegou a agredi-la com o soco.“A paixão doentia pela garota fica clara para a polícia”, diz Schimitt.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

Em outubro de 2020, Ana já havia assumido outro relacionamento, que mantinha até o dia em que foi morta. Em dezembro do mesmo ano, o investigado começou a cercar a casa de Ana Kemilli portando uma arma de fogo e, no dia dia anterior ao crime, tentou contatá-la por mensagem, sem sucesso.

Denúncias

Os dois réus adultos, o ex-namorado, de 21 anos, e sua irmã, de 19 anos, foram denunciados pela suposta prática de homicídio, qualificado por motivo fútil. Eles usaram meio cruel (asfixia) para praticar o feminicídio, mediante dissimulação.

Além dos dois, um adolescente de 15 anos confessou o envolvimento na morte da jovem. O processo em relação ao adolescente, que cumpre medida socioeducativa de internação, corre em segredo de Justiça, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Já o homem está preso preventivamente em Lages. Ele foi denunciado, ainda, por ocultação de cadáver e corrupção de menor de 18 anos.

Repercussão na cidade

Com o avanço da investigação, moradores de Campo Belo do Sul foram até a frente da residência do suspeito, no último sábado (19), e protestaram, exigindo a saída da família do investigado do local. Eles alegaram que não se sentiam seguros com a convivência.

Nas redes sociais, outras pessoas se manifestaram em defesa dos familiares do suspeito.

Relembre o caso

Inconformado com o bloqueio de seu número pela ex-namorada em razão das mensagens que enviava a ela, o homem teria pedido à irmã, amiga da vítima, para visitá-la no dia 8 de fevereiro.

O objetivo era convencer Ana a sair para acompanhá-la em parte do caminho de volta para casa.Após as duas se separarem, o adolescente de 15 anos, conhecido da vítima, cooptado pelo ex-namorado mediante a promessa de que o ajudaria em um romance com a irmã, teria abordado a menina.

Assim, a fez voltar parte do trajeto até um ponto com alta vegetação, onde o acusado estaria esperando escondido.Ali, a vítima teria sido atacada pelos dois, levada para o mato e amarrada a uma árvore, onde foi asfixiada. O corpo da adolescente só foi encontrado dois dias depois por vizinhos, ainda amarrado à árvore e coberto por folhas de vegetação local.

Fonte: ND+


Comente