Alto Vale

Polícia Civil prende suspeitos de tráfico de drogas e organização criminosa no Alto Vale

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Rio do Sul, prendeu um suspeito de comandar um esquema de venda de drogas nos municípios de Lontras e Rio do Sul. O homem de 25 anos de idade, foi abordado em seu veículo, juntamente com sua esposa e seu cunhado, um adolescente de 15 anos de idade, quando retornavam do litoral na tarde do da última segunda-feira (12).

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Durante as buscas, uma  pistola TAURUS, calibre .380, com a numeração suprimida, foi apreendida na posse do adolescente. Além da arma de fogo, foi encontrada munição do mesmo calibre sob o banco do motorista. Com os suspeitos, foi apreendido também dinheiro em espécie e diversos aparelhos celulares.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

O trio já vinha sendo investigado há alguns meses e são suspeitos de integrar uma associação criminosa que se destina a comercializar substâncias proibidas, distribuindo essas drogas para demais comparsas e outros traficantes nos municípios de Rio do Sul e Lontras.

Para manter o negócio ilícito,  o grupo se vale de violência, fazendo uso de armas de fogo, com a finalidade de se impor diante de grupos rivais e garantir a expansão e consolidação do tráfico de drogas em nossa região, e com isso, são suspeitos de diversos outros crimes investigados pela Polícia Civil.

Na tarde desta terça-feira (13), os policiais da DIC, munidos de um mandado judicial de busca e apreensão, encontraram mais munições, do calibre .32, e certa quantidade das drogas conhecidas como maconha e cocaína, armazenadas no interior da residência do casal suspeito e, desta vez, quem foi presa em flagrante foi a mulher que faz parte da suposta associação, esposa do líder do grupo criminoso.

Além da violência, os criminosos costumam instalar câmeras no interior das casas utilizadas como ponto de venda de drogas, e as imagens podem ajudar a identificar usuários e pessoas envolvidas nas atividades ilícitas.

Apesar das prisões, as investigações devem continuar para buscar mais informações e provas.


Comente