Coronavírus

Santa Catarina tem 261 pessoas aguardando leitos: “muitos morrerão na fila”, diz MP

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Após a reunião de segunda-feira (1º) com o governo do Estado e com integrantes de outros órgãos de controle, o procurador-geral do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Fernando Comin, lamentou a situação crítica da pandemia da Covid-19 em Santa Catarina e nos outros estados.

Faça parte do nosso grupo de Notícias no WhatsApp, clique Aqui!

Segundo o procurador, os órgãos de controle defendem medidas mais restritivas, fundamentadas em laudos médicos, mas resolveram aguardar e monitorar o crescimento do número de casos e o comportamento do sistema de saúde.

Para Comin, o governo Federal poderia auxiliar, se viabilizasse formas de aquisição de vacinas de forma direta por parte dos estados e dos municípios, situação que já foi autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

“O momento é de união de esforços e temos que deixar de lado eventuais conflitos do pacto federativo. União, estados e municípios devem agir em conjunto e somos favoráveis a abertura para a aquisição de estados e municípios”, sugere.

O procurador do MPSC adverte que o ideal é agir em duas grandes frentes, porque só a vacinação não salvará vidas neste momento.

“Santa Catarina tem 261 pessoas na fila para um leito de UTI e muitas morrerão na fila de espera. Elas já estão morrendo. Na quarta-feira (24) da semana passada, eram 30 pessoas na fila. Ontem (segunda, dia 1º), 261. O MP é o porta voz dessas famílias que têm parentes no ‘corredor da morte’”, lamentou.

Fonte: ND Mais


Comente