SC

Último desejo: Idosa pede para receber visita dos seus cachorros antes de falecer

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

A idosa Lurdes, de 80 anos, teve um dos últimos pedidos atendidos antes de morrer. Ela recebeu a visita dos cachorros com quem convivia diariamente antes de ser internada no início do mês de dezembro no HRTGB (Hospital Regional Terezinha Gaio Basso) em São Miguel do Oeste, no Extremo-Oeste de Santa Catarina.

Receba notícias eu seu WhatsApp, clique Aqui

Com um quadro de saúde delicado a idosa vivia sob cuidados paliativos que começam no momento do diagnóstico e buscam oferecer alívio do sofrimento, bem-estar e qualidade de vida ao paciente. A idosa não resistiu e acabou morrendo na madrugada do último domingo (12), mas antes recebeu a visita dos “aumigos”.

Segundo o filho de Lurdes, Jandir Zanatta, ela falou para a família que sentia saudade dos animais. “Teve um dia que ela pediu: -“Eu quero ver meus cachorrinhos”. Os cachorros moram na mesma casa que a mãe, então ela estava sentindo falta. Falamos com o pessoal do hospital e eles atenderam nosso pedido. Foi muito legal. Ela deu risada, ficou feliz e nós também”, conta Jandir.

Visita especial

Conforme avaliação da equipe e acompanhamento da Comissão de Cuidados Paliativos, Lurdes e a família foram levados até a entrada do Hospital para que fosse possível realizar o reencontro. Os cachorrinhos estavam limpos e com as vacinas em dia.

A psicóloga hospitalar, Daniela Filipini, explica que é cada vez mais comum ouvir falar sobre cuidados paliativos. “A pessoa pode conviver com uma doença incurável por tempo indeterminado, isso depende de cada caso, desde que receba os cuidados necessários para manutenção do seu quadro de saúde e qualidade de vida”.

Receba notícias do Alto Vale e Santa Catarina pelo Telegram

A gerente de enfermagem, Eloisa Zanella, reforça que este tipo de ação faz parte da humanização do atendimento. “Ela ficou muito feliz, falava o nome dos cachorrinhos… foi lindo. Procuramos sempre tratar com carinho os pacientes do Hospital Regional. São cuidados especiais que o seu familiar merece”.

Fonte: ND+


Comente